ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Pablo Neruda

Ricardo Eliécer Neftalí
12/7/1904, Parral (Chile) - 23/9/1973, Santiago (Chile)

Pablo Neruda nasceu Ricardo Eliécer Neftalí, em Parral, no Chile, a 12 de julho de 1904. Ainda adolescente inspirado no escritor checo Jan Neruda, adotou o pseudônimo de Pablo Neruda, que acabou se tornando seu nome legal, após uma  ação civil. Era filho de José del Carmen Reyes Morales, um operário ferroviário, e de Rosa Basoalto Opazo, professora primária.

Em 1919 obteve o terceiro lugar nos Jogos Florais de Maule com o poema "Noturno Ideal". Em 1921 radicou-se em Santiago e estudou pedagogia e francês na Universidade do Chile, obtendo o primeiro prêmio da festa da primavera com o poema "A Canção de Festa".

Em 1927 começa sua longa carreira diplomática sendo nomeado cônsul, na Birmânia. Em suas viagens conhece em Buenos Aires Federico Garcia Lorca e, em Barcelona, Rafael Alberti. Em 1935, Manuel Altolaguirre entrega a Neruda a direção da revista Cavalo Verde para a poesia, na qual é companheiro dos poetas da geração de 1927. Nesse mesmo ano aparece a edição madrilenha de Residência na Terra.

Em 1936, eclode a Guerra Civil espanhola e Neruda é destituído do cargo consular. No ano de 1945 é eleito senador. Nesta mesma época lê para mais de 100 mil pessoas no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, uma homenagem ao líder comunista Luís Carlos Prestes. Em 1950 publica "Canto Geral", em que sua poesia passa a adotar características sociais, éticas e  políticas.

Em 1953 constrói sua casa em Santiago, apelidada de "La Chascona", para se encontrar clandestinamente com sua amante Matilde, a quem havia dedicado “Os Versos do Capitão”. A casa foi uma de suas três residências no Chile, as outras estão em Isla Negra e Valparaíso. Hoje, "La Chascona" é um museu com objetos de Neruda e está aberta à visitação.

No mesmo ano, recebeu o Prêmio Lênin da Paz. Em 1965 lhe foi outorgado o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Oxford, Grã-Bretanha. Em outubro de 1971 recebeu o Nobel de Literatura. Após o prêmio, Neruda é convidado por Salvador Allende para ler para mais de 70 mil pessoas no Estadio Nacional de Chile.

Morreu em Santiago, no Chile no dia  23 de setembro de 1973, em decorrência de um câncer na próstata. Postumamente foram publicadas suas memórias, em 1974, com o título "Confesso que Vivi". Em 1994 um filme chamado "O Carteiro e O Poeta" enfatizou sua história em Isla Negra, no Chile, com sua terceira mulher Matilde.

Nos anos 70 durante as eleições presidenciais do Chile, Neruda abriu mão de sua candidatura para que Allende vencesse, pois ambos eram da esquerda. De acordo com Isabel Allende, em seu livro "Paula", Neruda morreu de "tristeza" ao ver dissolvido o governo de Allende.

Páginas selecionadas pelo Editor

Reclames do Estadão

Chegou a Jardineira

Novidade no transporte: auto-bonde Grassi, ou Jardineira Chegou a Jardineira

2/2/1930

Tópicos
ver todos
  • Edwin Reichert/AP
    1.

    Guerra Fria

    Período de tensão militar, conflitos políticos e competição entre URSS e EUA

  • Acervo/Estadão
    2.

    Primeira Guerra

    Guerra Mundial

  • Ari Vicentini/Estadão
    3.

    Brasil

    Impeachment - Julgamento parlamentar que destituiu o presidente Fernando Collor

  • Acervo/Estadão
    4.

    Colônias

    História do colonialismo e das colonizações

  • Horst Faas/AP
    5.

    Guerra do Vietnã

    Conflito entre o Vietnã do Sul e o Vietnã do Norte

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo