ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Carreira de Inezita Barroso começou com recitais

Cantora, que morreu aos 90 anos, teve contato com a música logo cedo

09 de março de 2015 | 11h 45
Estadão Acervo


Inezita Barroso em 1960. Acervo/Estadão

 A carreira da cantora, folclorista e apresentadora de TV Inezita Barroso, que morreu aos 90 anos, começou com recitais de música popular na década de 1950. Ainda de forma amadora, ela se apresentava em diversos teatros da cidade. O primeiro recital registrado no Estadão Acervo foi em benefício da Campanha de Combate ao Câncer (ver abaixo).

O Estado de S. Paulo - 23/6/1951

Mas a primeira menção da cantora no jornal foi quando ela tinha apenas 21 anos. Em 1946, uma nota anunciava o recital de violão das alunas da professora Inezita Aranha de Lima.

O Estado de S. Paulo - 23/10/1946

O contato com a música aconteceu logo na infância. Aos seis anos pegou um violão das tias, que eram professoras do instrumento. Aprendeu sozinha e começou a cantar em festas familiares, de escolas e em igrejas.

Levada pelos pais, dos sete aos dez anos se apresentou em diversas rádios paulistanas. A família, percebendo que as apresentações estavam prejudicando seus estudos na escola Caetano de Campos, onde fez o primário e o Normal, pararam com as exibições. Mas não abandonou a arte e a música. Estudou piano, balé e danças folclóricas no Departamento de Cultura. Em 1946, se formou em Biblioteconomia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras na USP.

 
Inezita (à esq.), com o Prêmio Saci de melhor atriz no filme 'A Mulher de Verdade', em 1958. Acervo/Estadão

Foi na faculdade que se aproximou do estudo do folclore. Influenciada pelos trabalhos etnográficos de Mario de Andrade, passava o tempo dos estudos na biblioteca lendo sobre o assunto. O estimulo para a carreira artística que não teve da família veio com o casamento com o advogado Adolfo Barroso, em 1947. Logo após o casamento, foi para o Nordeste onde passou dois meses recolhendo material folclórico. Em 1956, declarou ter coletado mais de três mil canções folclóricas.

O Estado de S. Paulo - 26/8/1960

Foi em Recife que teve seu primeiro trabalho remunerado como artista. Em 1952, foi convidada pela Rádio Clube para interpretar músicas que Mario de Andrade recolheu durante sua pesquisa etnográfica pelo Brasil na década de 1930 e outras que o músico e compositor Marcelo Tupinamba escreveu. Desde então sua presença em rádios não parou mais.

O Estado de S. Paulo - 12/3/1954

Em 1953 foi contratada pela Rádio Nacional de São Paulo. No mesmo ano, se apresentava com frequência na Rádio Nacional do Rio de Janeiro. De 1954 a 1961 apresentou programa sobre folclore na Rádio Record de São Paulo. Estreou no cinema com o filme “Angela”. Na década de 1950 ainda trabalhou na Rádio Nacional de São Paulo, na TV Record e na TV Tupi do Rio. Foram oito filmes entre as décadas de 1950 e 1970. Em um deles, 'A Mulher de Verdade' (1958), a cantora recebeu o Prêmio Saci de melhor atriz, concedido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Durante sua carreira Inezita Barroso gravou mais de 70 discos, e desde 1980 apresentava na TV Cultura o programa "Viola, Minha Viola".

Leia mais:

>>> Inezita e seu cavalo mecânico

Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | Instagram | # Assine 

FOTOS HISTÓRICAS

Leila Diniz e amigas em 1967

Veja essa e outras imagens que marcaram época Leila Diniz e amigas em 1967

Foto: Ywane Yamazaki/Estadão

Tópicos
ver todos