ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Como era São Paulo sem a Cidade Universitária

Antiga fazenda Butantã foi transformada em um polo da Universidade de São Paulo

22 de junho de 2013 | 16h 36
Rose Saconi

 O Estado de S. Paulo - 20/11/1943

Reprodução da planta original. Estado publicou o 'clichê em primeira mão'


Um bairro deserto, no meio do mato, às margens do rio Pinheiros. Assim era o Butantã nos anos 1930, quando uma comissão de estudos nomeada pelo governador do Estado escolheu a área para receber as faculdades da Universidade de São Paulo. Lá ficava a fazenda Butantã, uma verdadeira ilha de sossego distante cerca de 10 quilômetros do centro da cidade, com o rio Pinheiros de um lado e o Ribeirão Jaguaré do outro.


No dia 15 de fevereiro de 1944 foi realizada a cerimônia do lançamento da pedra fundamental da futura Cidade Universitária conduzida por Fernando Costa, então interventor federal de São Paulo. "Nesta manhã chuvosa, parece que as águas se infiltraram nas terras de Piratininga como um poderoso vitalizante que há de fomentar ainda mais a nossa produção. Do mesmo modo, do marco que hoje plantamos, nascerá o esplendoroso futuro desta universidade", disse em discurso registrado nas páginas do Estado.




O Estado de S. Paulo - 9/4/1961


A transferência dos primeiros departamentos para o novo campus começou, timidamente, na década de 1940. O Instituto de Pesquisas Tecnológicas foi a primeira escola a funcionar na Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira.
Sucessivos adiamentos e falta de verbas diminuíram o ritmo das obras. As unidades da universidade somente passaram a ocupar esta área na década de 1960.


Veja onde funcionam alguns cursos e departamentos antes da mudança definitiva para a Cidade Universitária:

Reitoria - Ficava na Rua Helvétia. Tinha sete divisões: Contabilidade, Tesouraria, Pessoal, Gabinete do Reitor, Secretaria Geral, Consultoria Jurídica e Biblioteca. A mudança para o novo edifício da Cidade Universitária começou em abril de 1961.

Escola Politécnica - O Solar do Marquês de Três Rios, que foi demolido em 1924, foi a primeira instalação da Poli, em 1894. Com o crescimento do número de alunos e professores, a Escola precisou ser ampliada e construiu-se o edifício Paula Souza. O curso permaneceu ali até a década de 1960, quando houve a mudança para a Cidade Universitária.


Foto: Acervo/Estadão

Medicina - A aula inauguração do curso de Medicina foi ministrada em 2 de abril de 1913. A Escola começou a funcionar em instalações cedidas pela Escola de Comércio Álvares Penteado, na Escola Politécnica. No ano seguinte, a escola transferiu-se para um prédio alugado na rua Brigadeiro Tobias, onde ficou até 1931, quando foi inaugurado o prédio atual na avenida Doutor. Arnaldo.A Faculdade de Medicina passou a integrar a Universidade de São Paulo em 25 de janeiro de 1934, através do decreto 6.283. As aulas práticas de clínica e cirurgia continuaram a ser ministradas na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, até 1944, quando foi inaugurado o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.


Fachada do prédio da Faculdade de Medicina de São Paulo, no planalto do Araçá. Reprodução: Suplemento Rotogruva

Arquitetura - O primeiro edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) foi o "Vila Penteado", na rua Maranhão, 88, em Higienópolis. O imóvel era um palacete construído no início do século 20 para abrigar a família do comendador Antônio Álvares Penteado, importante fazendeiro de café. A "Vila Penteado", como era chamada, foi doada à Universidade de São Paulo no final da década de 1930 para abrigar uma faculdade de Arquitetura. O curso de graduação da FAU permaneceu neste edifício até 1969, quando passou a funcionar na Cidade Universitária.


Fachada do prédio da FAU, 1997. Foto: Paulo Liebert/Estadão

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Fundada em 1934, a A FFLCH teve sua primeira sede instalada nas dependências da Faculdade de Medicina e da Escola Politécnica, com os cursos de Química, Ciências (Biologia, Botânica, Mineralogia, Paleontologia e Zoologia), Geografia e História, Ciências Sociais, Letras, Matemática e Física. De 1937 a 1947, a Faculdade ocupou endereços da cidade. A Rua da Consolação, a Praça da República, a Avenida Tiradentes e a Avenida Brigadeiro Luís Antônio.

Faculdade de Direito do Largo São Francisco - O mais antigo estabelecimento de ensino jurídico no Brasil, criado pela lei de 11 de agosto de 1827, não foi transferido para a Cidade Universitária. Desde o início, a Faculdade de Direito instalou-se no Largo de São Francisco, no velho convento, que datava do século 16. O prédio original da Faculdade sofreu total transformação em 1934, preservando-se dele apenas o Pátio das Arcadas e o Pátio do Mausoléu.




Veja também:

>> Como era São Paulo sem o Túnel 9 de Julho

>> Como era São Paulo sem o edifício Martinelli
>> Como era São Paulo sem o Minhocão
>> Como era São Paulo sem o Jóquei Clube
>> Como era São Paulo sem o Teatro Municipal
>> Como era São Paulo sem sacos de lixo

>> Como era São Paulo em o Vale do Anhangabaú

>> Como era São Paulo sem asfalto
>> Como era São Paulo sem cinema
>> Como era São Paulo sem estádios de futebol
>> Como era São Paulo sem a Estação da Luz
>> Como era São Paulo sem a Marginal do Tietê
>> Como era São Paulo sem shopping Center
>> Como era São Paulo sem Corpo de Bombeiros
>> Como era São Paulo sem o Mercado Municipal
>> Como era São Paulo sem água encanada
>> Como era São Paulo sem a via Anchieta
>> Como era São Paulo sem a Catedral da Sé
>> Como era São Paulo sem a Avenida Sumaré
>> Como era São Paulo sem iluminação pública
>> Como era São Paulo sem o autódromo de Interlagos
>> Como era São Paulo sem o viaduto do Chá
>> Como era São Paulo sem o aeroporto de Congonhas

>> Como era São Paulo sem semáforos

Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | Instagram | # Assine
Viu essa página?

Anúncio de lança-perfume em 1929

Entorpecente era permitido e sucesso no carnaval Anúncio de lança-perfume em 1929

Veja a edição completa de 13/1/1929

Tópicos
ver todos