ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Como era São Paulo sem shopping center

O triângulo formado pelas Ruas Direita, 15 de Novembro e S.Bento era sinônimo de sofisticação

22 de fevereiro de 2013 | 12h 38
Rose Saconi


O Estado de S. Paulo - 27/11/1966



Nas primeiras décadas do século 20, muito antes da chegada do primeiro shopping center na cidade, o Iguatemi, em 1966, o paulistano passeava, marcava encontros e fazia compras nas principais ruas do centro de São Paulo. O conhecido triângulo formado pelas ruas Direita, 15 de Novembro e São Bento era sinônimo de sofisticação. Lá ficavam as melhores lojas do comércio de São Paulo, os alfaiates, as livrarias e as casas de chá. À tarde, as senhoras saíam elegantemente vestidas usando chapéus para as compras e paravam para um chá ou um sorvete.

O Estado de S. Paulo - 1/11/1877


A primeira loja de departamentos de São Paulo, o Mappin, instalou-se em 1912, na rua 15 de Novembro, e concorria com a Casa Alemã, que funcionava na rua Direita. O Mappin tornou-se um marco da expansão do comércio paulistano quando passou a funcionar do outro lado do viaduto do Chá, no prédio da Praça Ramos de Azevedo.

O Estado de S. Paulo - 28/6/1912

Aos poucos o comércio expandiu-se para os bairros. Surgiram as galerias que se tornaram a grande novidade do comércio.
Ainda antes da invasão dos shoppings, um outro polo comercial paulistano fez grande sucesso nos anos 60, a rua Augusta, que tornou-se um símbolo das compras e uma passarela de modismos. Hoje, só na capital, existem 52 shoppings em funcionamento e até o final do ano mais quatro serão inaugurados.

O Estado de S. Paulo - 26/11/1966

Viu essa página?

Anúncio de lança-perfume em 1929

Entorpecente era permitido e sucesso no carnaval Anúncio de lança-perfume em 1929

Veja a edição completa de 13/1/1929

Tópicos
ver todos