ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Eduardo Campos seguiu passos do avô na política

Ex-governador de Pernambuco começou carreira como chefe de gabinete de Miguel Arraes

13 de agosto de 2014 | 13h 00
Estadão Acervo


Eduardo Campos ao lado do avô, Miguel Arraes, em 1987. Nilton Aguiar/Estadão

O presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE), morto em acidente aéreo, foi lançado na política pelo seu avô, Miguel Arraes. O avô foi um dos principais líderes da esquerda no nordeste. Preso durante a ditadura militar, partiu para o exílio que durou 14 anos. Retornou ao Brasil em 1979 após a anistia. Coincidentemente, o neto e o avô morreram no mesmo dia, 13 de agosto.

Em 1986, Eduardo Campos teve seu primeiro cargo público ao ser nomeado chefe de gabinete de seu avô, então governador de Pernambuco. Em 1990 foi eleito deputado estadual pelo PSB, partido que nunca deixou. Por Pernambuco, também foi eleito deputado federal por 3 vezes (1994, 1998 e 2002).

Em 1995 teve sua primeira experiência no poder Executivo como secretário da Fazenda de Pernambuco durante o segundo mandato de Miguel Arraes. Durante o primeiro mandato do governo Lula (2003 - 2006) foi Ministro da Ciência e Tecnologia. Deixou o cargo em 2006 após ser eleito governador de Pernambuco. Reeleito em 2010, com 82% dos votos, deixou o governo em 5 de abril de 2014 para se candidatar à Presidência da República.

O Estado de S. Paulo - 5/4/2014




Veja a trajetória de Eduardo Campos nas páginas do Estadão

1986 Então no PMDB, Miguel Arraes, vence a eleição para o governo de Pernambuco e nomeia o neto, Eduardo Campos, seu chefe de gabinete

1990 Com o avô, Campos filia-se ao PSB, e é eleito deputado estadual

O Estado de S. Paulo - 27/9/1990

1994 Depois de ser derrotado na eleição pela prefeitura do Recife, é eleito deputado federal

O Estado de S. Paulo - 10/10/1994

1995 É chamado para ser o secretário da Fazenda em mais um governo do avô

1996 Estoura o escândalo dos precatórios

O Estado de S. Paulo - 10/3/1997


1998 Eduardo Campos é eleito para outro mandato como deputado federal

O Estado de S. Paulo - 11/10/1998

2002 Lula é eleito presidente da República e Eduardo Campos eleito para outro mandato de deputado federal

2003 Lula põe o professor Roberto Amaral no Ministério da Ciência e Tecnologia para guardar a cadeira para Eduardo Campos, que respondia na Justiça a processo por causa dos precatórios

2004Absolvido no caso dos precatórios, Eduardo Campos assume o cargo de ministro da Ciência e Tecnologia


O Estado de S. Paulo - 23/1/2004

2005 Eduardo Campos é eleito presidente do PSB. Surge o escândalo do mensalão. É, então, devolvido à Câmara para articular as forças do governo

2006 Campos é eleito governador de Pernambuco no 2º turno, com a ajuda do PT

O Estado de S. Paulo - 29/10/2006

2010 Campos é reeleito governador de Pernambuco com 82% dos votos

O Estado de S. Paulo - 5/10/2010

2012 Eduardo Campos elege 434 prefeitos no primeiro turno, tornando-se o partido que mais cresceu na eleição municipal

O Estado de S. Paulo - 8/10/2012


2014 Campos é apresentado como candidato oficial à presidência da República pela aliança PSB-Rede

O Estado de S. Paulo - 5/2/2014


Abril Eduardo Campos faz críticas a Dilma ao deixar o governo de Pernambuco

Agosto Em sua última entrevista ao JN, da Rede Globo, afirmou não ver nada de errado em ter feito campanha para sua mãe ao TCU


O Estado de S. Paulo - 13/8/2014

Clique aqui e veja tudo o que foi publicado sobre Eduardo Campos no Estadão

 Atualizado às 15h00.

 # Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | Instagram | # Assine

>> ACESSE TODAS EDIÇÕES DO JORNAL

Proclamação da República

Veja essa e outras capas históricas Proclamação da República

# Capa do jornal de 16/11/1889

Tópicos
ver todos