ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Frases: Cauby por Cauby

Entrevistas revelam facetas do astro da voz de ouro

16 de maio de 2016 | 13h 06
Liz Batista


Cauby Peixoto, década de 1950. Acervo/ Estadão


Cauby Peixoto, uma das maiores vozes da música brasileira, morreu ontem, 15, aos 85 anos de idade. O cantor estava internado para tratar de uma pneumonia. Sua trajetória está registrada nas páginas do Estadão. Em cada entrevista, repletas de frases de efeito, o artista revelava ao leitor um pouco mais sobre o mito. Confira:

O Estado de S.Paulo - 2/10/1980 

A receita para o sucesso.Todos dizem que sou o professor dos cantores, que criei uma escola. Mas poucos sabem como formei este estilo. A receita é fácil. Basta pegar os finais de Ângela Maria, um pouco do vozeirão do Sílvio Caldas, a interpretação da divina Elizeth Cardosos, a emoção e o coração do Nat King cole, a impostação natural de Nelson Gonçalves, os falsetes de Dalva de oliveira, e os graves de Dick Farney. Junte tudo isso e adicione a postura de cena  que, logo no início de minha carreira aprendi, principalmente, com os meus irmãos que são músicos e eis a receita para ser um Cauby Peixoto.”

O Estado de S.Paulo- 15/10/1981

O que Cauby quer? Ser aplaudido muito calorosamente. Já não me contento com palminhas. Quero aplausos em pé” 

O Estado de S.Paulo- 01/4/1982


A relação com a mídia.Sou um produto da imprensa. Afinal, se somos conhecidos é por causa das fotos, das matérias que falam do nosso trabalho e até da nossa vida.

Carreira e vida pessoal.“É  preciso que se renuncie, inclusive, ao amor, para alcançar todas as glórias. Felizmente na hora que entro no palco, a felicidade é total. Eu me basto.”

O Estado de S. Paulo- 14/3/1984 

A parceira, Ângela Maria.Conseguimos uma coisa difícil no Brasil que é a eternidade. Somos artistas queridos, palpáveis, não estamos em cima de nenhum pedestal e por isso atingimos todas as classes. As FMs não nos tocam, mas a gente lota teatros e aparece com frequencia nas AMs.


O Estado de S.Paulo- 02/7/1985

Cafonice e elegância.Sou um dos melhores cantores do Brasil. Tive que reconhecer meus erros. Meu repertório era cafona mesmo, eu exagerava nos gritos (...) Aprendi que não sou do rock, nem do punk, sou é romântico, esse é meu forte. Eu sou o cantor mais elegante do Brasil


O Estado de S.Paulo- 17/5/1987 

Acima de tudo, um carente.Eu fui muito castrado no início de carreira. Não tive a liberdade que um ser humano tem para amar. Hoje eu jogo isso no palco, até a raiva. Posso assumir minha porção mulher e isso se reflete na minha música. Eu estou cantando melhor. Conto como se estivesse pedindo socorro. Sim, porque eu sou, acima de tudo, um carente.


O Estado de S.Paulo-27/7/1989 

A voz que fala ao coração.Há algo em certas vozes que não sei o que é. É uma magia. Certos timbres de voz vão direto ao coração do freguês. Uma vez me disseram que minha voz vem das entranhas. As pessoas se impressionam porque homens e mulheres ficam loucos quando canto. E explico: não é sensualidade. É a voz” 

O Estado de S.Paulo- 12/3/1991

Criador de um estilo. “Antes era tudo muito quadrado, careta mesmo. Criei uma maneira nova de cantar, roupas extravagantes, o estilo Cauby.”

O Estado de S. Paulo - 30/10/2000

O medo do samba e a superação do crooner.Eu criei um complexo muito grande do samba por causa do meu primo Ciro Monteiro. Eu não tinha coragem de cantar (…) Eu pensei mesmo que não pudesse fazer isso. Burrice, Eu fui crooner e você sabe que crooner canta  tudo.


O Estado de S.Paulo- 15/10/2011 

Cauby canta Beatles.  “Só ouvi o que eles gravaram agora. Quando estouraram, eu só ouvia Frank Sinatra

O Estado de S.Paulo- 21/5/2015

O dever para com o público.O artista deve se apresentar da melhor forma possível para seu público, qualquer público. E o público prefere o Cauby assim, com luzes. Eu faço o que os fãs querem

Leia também:

#Cauby, o Sinatra brasileiro

# Tag: Cauby Peixoto

# Assine |  # Licenciamento de conteúdos Estadão |

Viu essa página?

Anúncio de lança-perfume em 1929

Entorpecente era permitido e sucesso no carnaval Anúncio de lança-perfume em 1929

Veja a edição completa de 13/1/1929

Tópicos
ver todos