ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

O dia da posse: de Collor a Dilma

Veja como foram as cerimônias, as festas e os discursos dos presidentes desde 1990

31 de dezembro de 2014 | 14h 46
Rose Saconi

Nos últimos 25 anos, as cerimônias de posses simbolizaram os estilos e as diretrizes que os presidentes eleitos pretendiam dar aos seus governos. Fernando Collor, em 1990, anunciou medidas populistas e econômicas. Dois anos depois, ele renuncia para escapar da cassação e seu vice, Itamar Franco, toma posse entregando no Congresso sua declaração de bens. Fernando Henrique Cardoso citou a justiça social no discurso de posse em 1995 e quatro anos mais tarde enfatizou a necessidade de o País realizar o ajuste fiscal, Em 2003, Luiz Inácio Lula da Silva levou a Brasília mais de 200 mil pessoas. Reeleito em 2006, passou a faixa a Dilma Rousseff em 2011, que assumiu prometendo erradicar a miséria.

1990

FERNANDO COLLOR 
 Posse: 15 de março




Logo após receber a faixa de José Sarney (que ficou pequena), o presidente Fernando Collor assinou as primeiras medidas de seu governo e deu início à reforma administrativa: mansões serão vendidas e funcionários ociosos, demitidos. A pressa, característica do estilo que chega à Presidência com Collor - foi fator marcante no seu primeiro dia no poder. A dose se repetiu com o anúncio das esperadas medidas econômicas.


Festa. Brasileiros de todo o País foram a Brasília para testemunhar o primeiro dia de Fernando Collor na Presidência da República. No imenso gramado da Praça dos Três Poderes, milhares de pessoas comemoravam levando faixas com os mais variados dizeres, bandeiras de todas as cores e aplausos à posse do novo presidente do Brasil.

 Leia o discurso da posse   
   
   

1992

 
   
ITAMAR FRANCO
 Posse: 29 de dezembro




Com a renúncia de Fernando Collor, o vice-presidente Itamar Franco leu o compromisso de presidente: "Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem estar do povo brasileiro, sustentar a União, a integridade e a independência do Brasil".

Festa. Foi uma posse festiva e com aplausos. Antes de ler o termo de posse, Itamar entregou sua declaração de bens ao presidente do Congresso. Assim que terminou a leitura do compromisso de posse, as galerias, ocupadas principalmente por estudantes com rostos pintados - os cara-pintadas - cantaram o Hino Nacional. 


 Leia o discurso da posse  
   
   

1995

 

FERNANDO HENRIQUE
 Posse: 1 de janeiro

                             


No dia da posse, o presidente Fernando Henrique Cardoso avisou que iria 'mexer em vespeiros' para tornar o serviço público mais eficiente. Condenou a corrupção, o corporativismo, clientelismo e os 'parasitas'. Em seu discurso o presidente convocou o Congresso a 'mudar o Brasil' e prometeu acabar com os privilégios para promover justiça social.

Festa: Para atrair a população, foi realizado um grande show, comandado pela cantora baiana Daniela Mercury, e que contou com a presença de vários artistas. A festa foi assistida por cerca de 10 mil pessoas.                            
 Leia o discurso da posse  
   

 1999

 
   
FERNANDO HENRIQUE
 Posse: 1 de janeiro

 


Primeiro presidente reeleito do País, Fernando Henrique Cardoso enfatizou no seu discurso de posse a necessidade de o País realizar o ajuste fiscal, com a conclusão das reformas constitucionais e com o fim “do tormento do déficit público”. Prometeu que continuaria se empenhando para construir uma economia estável, moderna, aberta e competitiva.

Festa. Para comemorar a segunda posse – bem diferente do jantar de gala oferecido na primeira, no Itamaraty, para 6 mil pessoas –, foi preparado um coquetel no Palácio do Planalto, para 700 pessoas. Os convites foram limitados aos políticos e a alguns empresários. Um show do cantor Leonardo estava previsto, mas foi cancelado na última hora.
 Leia o discurso da posse  
   
   

 

2003 

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA  Posse: 1 de janeiro




Depois de prestar juramento à Constituição no Congresso, Lula resumiu o que pretendia fazer no governo num discurso de 42 minutos. Prometeu mudanças, ressaltando que se tratava de um “processo gradativo e continuado, não um simples ato de vontade, não um arroubo voluntarista”. Destacou a prioridade do combate à fome, que comparou às grandes causas nacionais do passado, como a criação da Petrobrás e a luta pela redemocratização do País. 

Festa. Em clima de emoção e euforia, que reuniu mais de 200 mil, o Brasil das reivindicações foi à festa da posse de Lula. Sindicalistas, representantes de ONGs, militantes partidários e líderes estudantis foram brindar o novo presidente com faixas, bandeiras, palavras de ordem e muito discurso panfletário.                                   
 Leia o discurso da posse  
   
   
2007  
   
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA  Posse: 1 de janeiro




Lula assumiu seu segundo mandato com um discurso no Congresso em que negou comandar uma administração populista. Prometeu “destravar” a economia e acelerar a distribuição de renda. Ele batizou de Programa de Aceleração do Crescimento as medidas econômicas que iria anunciar. Garantiu que não abriria mão da responsabilidade fiscal e se comprometeu com a redução dos juros.

Festa. O público estava menos emocionado do que na posse de 2003. Ao contrário do que ocorreu naquele ano, não foram vistas pessoas chorando. Uma forte chuva que caiu na capital federal na véspera afastou o público das ruas. Dirigentes do PT estimaram que somente de 5 mil a 10 mil pessoas foram à Esplanada.
 Leia o discurso da posse  
   
   

 

2011  
   
DILMA ROUSSEFF  Posse: 1 de janeiro




A primeira mulher presidente do Brasil agradeceu a "ousadia" dos eleitores e prestou tributo ao ex-presidente Lula, "o maior líder popular que este País já teve". Reforçou o compromisso de combater a "praga" da inflação e disse que a prioridade seria erradicar a miséria. Dilma deu garantias de manutenção da liberdade de imprensa e lembrou seu passado como militante contra a ditadura.

Festa. A cerimônia de posse atraiu cerca de 30 mil pessoas que,sem empurra-empurra, conseguiu chegar perto das grades de segurança para saudar a nova presidente e se despedir de Lula. No fim da festa, tímidas bandeiras do PMDB misturaram-se às do PT na Praça dos Três Poderes.

 Leia o discurso da posse  
   
   

Leia também:

# Brasileiros vão às urnas pela 22º vez escolher presidente

# Novos presidentes e o mercado: um sobe e desce

# Fernando Henrique, Lula e Dilma: os reeleitos

# Siga: twitter@estadaoacervo | facebook/arquivoestadao | Instagram | # Assine


>> ACESSE TODAS EDIÇÕES DO JORNAL

Proclamação da República

Veja essa e outras capas históricas Proclamação da República

# Capa do jornal de 16/11/1889

Tópicos
ver todos