ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Os italianos que fizeram o Brasil chorar

Nas Copas de 1950 e 1982, jogadores italianos silenciaram a torcida brasileira

04 de julho de 2012 | 17h 07
Rose Saconi

Dois grandes momentos da história do futebol brasileiro foram frustados por jogadores italianos, ou por seus descendentes. Ghiggia, Schiaffino e Paolo Rossi foram os violões das Copas de 1950 e 1982.

5 de julho de 1982
. O italiano Paolo Rossi marca três gols e interrompe o caminho para o título de uma das melhores seleções brasileiras de todos os tempos. A tristeza, a frustração e o desânimo tomaram conta dos brasileiros em todo o país.



O fotógrafo Reginaldo Manente, que cobriu a Copa da Espanha para o Grupo Estado, conseguiu traduzir em uma imagem o sentimento de toda uma nação. A foto de um garoto tentando conter o choro no meio da torcida (premiada posteriormente) ocupou toda a primeira página do Jornal da Tarde de 6 de julho de 1982.



O jogo adiou o sonho do tetra. As poucas pessoas que saíram às ruas estavam tristes e desoladas




Em 1950, dois italianos marcaram para o Uruguai

Brasil 1 X Uruguai 2. Com gols de dois descendentes de italianos, Juan Alberto Schiaffino e Alcides Ghiggia (este obteve cidadania italiana posteriormente), o Brasil, anfitrião do Mundial, perdeu o título para o Uruguai. O clima de 'já ganhou' que tomava conta do estádio Maracanã é substituído por sentimento de angústia e decepção.



Viu essa página?

Capas históricas: 11 de setembro

Pesquise e acesse todas as edições do jornal Capas históricas: 11 de setembro

Veja a edição completa de 12/11/2001

Tópicos
ver todos