ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Porque 8 de março é o Dia Internacional da Mulher

Uma tragédia e uma revolução estão entre as motivações; movimento feminista é centenário mas data foi definida na década de 1970 pela Organização das Nações Unidas

06 de março de 2020 | 15h 37
Liz Batista - O Estado de S.Paulo

Mulheres fazem comício Pró-Diretas, São Paulo, SP, 16/4/1984.

Mulheres fazem comício Pró-Diretas, São Paulo, SP, 16/4/1984.

O Dia Internacional da Mulher foi oficialmente criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 1977. No entanto, o dia 08 de março já era utilizado por movimentos femininos como uma data para celebrar a luta pelos direitos das mulheres desde o início do século 20. Vários eventos influenciaram a criação da data, dois entre eles são lembrados como determinantes para sua oficialização. O primeiro - o incêndio na fábrica de roupas Triangle Shirtwaist, em Nova York, em 1911- foi uma tragédia que levou às capas dos jornais as terríveis condições de trabalho à que as mulheres era submetidas. O segundo  - um marco da História Contemporânea, a marcha das mulheres russa por pão e paz em 1917- iniciou uma revolução de efeitos globais que reverberam até hoje.  

Trecho do telegrama publicado no Estadão de 28/3/1911.  

A tragédia. Em 25 de março de 1911 um incêndio atingiu a fábrica de roupas Triangle Shirtwaist, nos Estados Unidos. Foi  o mais mortal acidente industrial da cidade de Nova York, matou 146 pessoas; 23 homens e 123 mulheres. Quem estava no prédio teve pouca chance contra o fogo, pois as saídas estavam trancadas. A prática de fechar as portas das oficinas, para impedir a saída para pausas durante o turno, era uma das ações arbitrárias contra as trabalhadoras.

O noticiário também revelou as péssimas condições de trabalho das vítimas. Cargas horárias extenuantes, que podiam chegar a mais de 16 horas diárias, salários incrivelmente baixos e locais insalubres eram alguns dos fatos da dura realidade vivida pelas operárias. 

Reportagem sobre o incêndio ocorrido em 25/3/1911. 

Desde o final do século 19, organizações socialistas e sufragistas feministas defendiam a criação de um data para lembrar a luta das mulheres por direitos. A marxista alemã Clara Zetkin é lembrada como principal idealizadoras da proposta. Em 1910, durante a Conferência Internacional das Mulheres Socialistas, Zetkin defendeu a criação de uma mobilização anual. A revolta diante da tragédia na tecelagem Triangle se transformou numa bandeira por melhores condições de trabalho para as mulheres e acabou arregimentando mais ativistas para as diferentes causas femininas defendidas no Dia Internacional da Mulher.

A revolução. Com o início da Primeira Guerra Mundial em 1914, as manifestações femininas durante o mês de março se tornaram também uma forma de protestar pelo término do conflito e pela paz. No período da guerra, um episódio definido pelo protagonismo feminino marcou o início do processo que colocou fim a 300 anos de monarquia na Rússia. A Revolução Russa, evento que transformou o mundo em 1917, teve nas mobilizações do Dia Internacional da Mulher um dos seus primeiros atos propulsores. 

Mobilização do Dia Internacional da Mulher em São Petersburgo, Rússia, 08/3/1917.

Mobilização do Dia Internacional da Mulher em São Petersburgo, Rússia, 08/3/1917.

Naquele 8 de março, mulheres saíram às ruas de São Petersburgo para pedir por pão, melhores condições de vida e pela saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial. Em fevereiro, operários russos já haviam começado a organizar uma série de protestos e greves. No dia 7 de março operários pararam a Putilov, maior fábrica da capital russa. No dia seguinte, uma onda de insatisfação irrompeu entre as mulheres nas filas de racionamento de pão, elas se juntaram aos comícios do Dia Internacional da Mulher e a mobilização tomou conta das ruas de São Petersburgo. O movimento operário aderiu à manifestação e cerca de 50 mil trabalhadores entraram em greve. O evento marcou o início da chamada Revolução Russa de 1917. As demonstração também fortaleceram a causa do sufrágio feminino no país. 

O Estado de S.Paulo- 06/4/1917 
Clique no link para ler mais.

O Estado de S.Paulo - 18/4/1971

O Estado de S.Paulo - 18/4/1971

Oficialização. A ONU declarou o ano de 1975 o Ano Internacional da Mulher. Ações e jornadas por todo mundo foram desenvolvidas pela entidade para promover a igualdade de gêneros e a proteção dos direitos das mulheres. Em 1977, a ONU oficializou a data 08 de março como o Dia Internacional da Mulher.

Conheça mais sobre a história da luta pelos direitos femininos através dos conteúdos produzidos pelo Acervo Estadão:

Policiais prendem sufragista durante protesto pelo direito feminino ao voto, Inglaterra, 1913.

# Quem foram as sufragistas

# Tragédia marcou luta pelos direitos das mulheres

# Por voto, feminista morre em Derby

Emily Davidson é gravemente ferida pelo cavalo do rei da Inglaterra durante, o Derby de Epsom, ao tentar colocar um broche das sufragistas no animal, em 04/06/1913. A morte da jovem inflamou o movimento sufragista inglês

# Mulheres impulsionavam Revolução Russa

# Um "Velázquez" é retalhado pelo direito de voto feminino

#Há um século: a primeira engenheira do País

# Questão de Simone Beauvoir no Enem: um assunto de meio século no Estadão

 O Estado de S.Paulo, 1911 . Clique no link para ver mais

# Mulheres de calças chocaram no início no século 20

# São Paulo aplaudia calça feminina em 1911

# Declarada guerra ao espartilho

O Estado de S.Paulo - 25/3/1911

O Estado de S.Paulo - 25/3/1911

# Em 1911, calças e aviões também eram coisas de mulher

# Pelo direito de usar monoquíni

#Os 'futuros' da mulher​

Svetlana Savitskaya retorna à Terra após seu passeio no espaço, Moscou, Rússia 20/7/1984.

Svetlana Savitskaya retorna à Terra após seu passeio no espaço, Moscou, Rússia 20/7/1984.

# Astronauta russa foi 1ª mulher a realizar um 'spacewalk'

# Edith Cavell, a primeira mártir da Grande Guerra

# O último voo de Amélia Earhart

#Carolina Maria de Jesus, a escritora da favela

Veja também:

A equipe vive dias de fama

A equipe vive dias de fama

#Liderado por mulheres, grupo que sequenciou genoma do coronavírus vive fama repentina

 #Websérie : DEIXA ELAS

Acervo Estadão

Todas as edições | Censuradas | Tópicos | Personalidades | Lugares | Páginas da História

FOTOS HISTÓRICAS

Guarda Luizinho no centro de SP

Veja essa e outras imagens que marcaram época Guarda Luizinho no centro de SP

Acervo Estadão

Tópicos
ver todos