ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Prédios de São Paulo: Portal do Morumbi

Anunciado como uma filosofia de vida, imóvel prometia 'oferecer de volta a infância dos seus filhos'

02 de outubro de 2014 | 10h 48
Liz Batista

Com 800 apartamentos num bosque de 150 mil m², o Portal do Morumbi prometia ser o local que poderia  “oferecer de volta a infância dos seus filhos”. Assim era anunciado o empreendimento da Construtora Alfredo Mathias no Estado de 24 de abril de 1976. “No Portal seus filhos vão poder andar de bicicleta, skate, velocípede. Correr com o cachorro. Pular, gritar, brincar. Livremente. Tudo sem perigo. Longe do grande inimigo: o automóvel”, dizia a publicidade.

O Estado de S.Paulo - 24/4/1976

O aguardado empreendimento vinha sendo anunciado no Estado desde o início das obras em 1974 e apresentava-se não apenas como um um investimento imobiliário, mas como uma filosofia de vida. A publicidade, dividida em três partes, esclarecia a proposta. Na primeira, “O homem e o meio”, o anúncio dizia que “morar é também integrar-se no meio ambiente” e “no Portal do Morumbi nada é mais importante que o homem. Os caminhos para os automóveis e para as pessoas jamais se cruzam. Arquitetura, arte e urbanismo fazem uma ambiente ameno, harmônico e estético. As necessidades básicas de consumo são atendidas por uma estrutura própria, através de um mini Shopping Center, facilmente alcançável a pé”. A segunda parte, “O homem e a casa”, explicava que “a relação entre o homem e a sua casa transcende “a simples busca ao abrigo, o projeto da moradia e seu ambiente chegam hoje ao nível da psicologia em geral”. Nos apartamentos do Portal “o quarto que garante a individualidade, a sala que abriga o convívio, são exigências da arquitetura e da psicologia. É o equilíbrio estético a serviço do equilíbrio emocional”.

O Estado de S.Paulo - 30/4/1974 e  01/5/1974
 

A última, “O homem e a vida”, tratava da vivência que o empreendimento oferecia à família,“no Portal do Morumbi a família tem meios, espaços e modos de satisfazer às suas necessidades existências. As crianças podem sair às ruas exclusivas para pedestres e onde o carro não penetra. Os homens têm centros de reunião, onde se encontram pessoas do mesmo nível social e do mesmo estilo de vida. As mulheres, libertas do opressivo cuidado com as crianças, tranquilas quanto a inviolabilidade do seu lar e cercadas por um ambiente onde os perigos foram afastados, poderão mais tranquilamente encontrar sua própria realização, através do trabalho ou do estudo.”

O Estado de S.Paulo - 03/5/1974


A construtora.
Fundada na década de 1950 a Construtora Alfredo Mathias levou o nome de seu fundador. Descendente de sírios, Alfredo Mathias entrou para a Escola Politécnica em 1924, formou-se engenheiro arquiteto em 1929 e iniciou carreira como engenheiro da Diretoria de Obras Públicas de São Paulo. Ao fundar a empresa passou a atuar na indústria da construção civil. Construtora e incorporadora, a Alfredo Mathias se tornou uma das maiores do setor. Construiu o primeiro Shopping Center de São Paulo, o Iguatemi, a Câmara Municipal de São Paulo, o Hospital Beneficência Portuguesa, o Shopping Center Grandes Galerias (Galeria do Rock), o Cine Trianon (atual Belas Artes), o Centro Empresarial de São Paulo e o Portal do Morumbi. Em 1979, a crise do setor imobiliário abalou a construtora, forçando a empresa a pedir concordata em junho de 1980.

>> Acompanhe a série 'Prédios de São Paulo'

>> ACESSE TODAS EDIÇÕES DO JORNAL

Proclamação da República

Veja essa e outras capas históricas Proclamação da República

# Capa do jornal de 16/11/1889

Tópicos
ver todos