ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Prédios de SP: Condomínio Residencial Porto Seguro

Na época do lançamento, empreendimento trazia o novo conceito de condomínio integrado

29 de setembro de 2014 | 14h 47
Liz Batista

O anúncio do Condomínio Residencial Porto Seguro, publicado no Estado de 03 de dezembro de 1986, definia o que era segurança para os interessados em comprar um imóvel, “Segurança é isto: morar bem e pagar com tranquilidade”.O residencial marcava a entrada do conceito de condomínio residencial integrado no mercado imobiliário paulistano. Sua proposta vinha de encontro à demanda por locais que proporcionasse segurança e lazer para a família.

 O Estado de S.Paulo - 03/12/1986

Em outro anúncio, publicado no Estado de 28 de novembro de 1982, trazia mais detalhes sobre o conceito de condomínio integrado “ninguém precisa tirar o carro da garagem para se divertir.”  Localizado no bairro da Casa Verde, o condomínio oferecia apartamentos de até 180 m² com "segurança total: portaria com funcionamento dia e noite, portões eletrônicos e automáticos, gradis de ferro e muros cercando todo o empreendimento" e uma “ampla área destinada ao lazer" que contava com “conjunto de piscinas que totalizam 1000 m² com deck, solarium, mesas, cadeiras, espreguiçadeiras, sauna, salão de jogos, salão de festas, playground, jardins, pista de skate , quadra poliesportiva”.

>>O prédio hoje 

Com uma boa infraestrutura urbana e perfil residencial, o tradicional bairro da Casa Verde experimentou um crescimento imobiliário na década de 1980, quando vários edifícios, entre eles o Residencial Porto Seguro, começaram a ser erguidos na região. Na Rua Professora Ida Kolb, 225, próximo à ponte do Limão na Marginal Tietê, o residencial é pioneiro dentro de sua concepção integrada - “totalmente fechado” e inspirado “à maneira dos condomínios da costa oeste dos Estados Unidos”.

O Estado de S.Paulo - 12/07/1986


História do bairro.
No século 17, as terras da Casa Verde pertenciam a Amador Bueno, um dos primeiros grandes líderes coloniais da cidade de São Paulo. Cedidas como sesmaria - lote de terra inculta que os reis de Portugal cediam para cultivo - as terras, onde hoje fica a Rua Zanzibar, passaram a constituir uma fazenda, em 1630. Depois, por meio de herança, o espaço passou a ser de propriedade de José Arouche de Toledo Rondon, foi quando passou a ser conhecida por Casa Verde. O que motivou a escolha do nome foram sete belas moças que passavam férias em um sítio onde havia uma grande casa pintada de verde. As irmãs, conhecidas como  “Meninas da Casa Verde”, eram Caetana Antonia de Toledo Lara e Moraes (1754), Gertrudes Genebra de Toledo Rendon Freire, Joaquina Luisa Delgado de Toledo e Luna (1762), Puqueria Leocadia Domitilla Ordonhes de Toledo (1756), Ana Teresa de Araujo de Toledo (1751), Maria Rosa de Toledo Rendon  (1758) e a caçula Redunzinda de Toledo (1764). Leia mais sobre a história do bairro em "Casa de sete irmãs deu nome à Casa Verde".


>> Acompanhe a série 'Prédios de São Paulo'

>> ACESSE TODAS EDIÇÕES DO JORNAL

Proclamação da República

Veja essa e outras capas históricas Proclamação da República

# Capa do jornal de 16/11/1889

Tópicos
ver todos