ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Selo Eldorado estreou com chorinho

Gravadora que completa 35 anos tem a marca do ecletismo

10 de novembro de 2012 | 0h 01
Rose Saconi e Carlos Eduardo Entini

Há 35 anos um novo selo revolucionou o mercado fonográfico com uma proposta ousada: a de registrar a boa música popular e erudita no Brasil, então esquecida pelas grandes gravadoras. No dia 9 de novembro de 1977, ano em que se comemorava o centenário do nascimento do chorinho, foi lançado o disco "Revendo com a Flauta os Bons Tempos do Chorinho" LP que inaugurou o Selo Eldorado, do Grupo Estado.

"A partir de hoje, além da Rádio e do Estúdio, a marca Eldorado passa a significar também uma companhia gravadora de discos", anunciou o Jornal da Tarde.




O disco, com 12 chorinhos interpretados pela flautista capixaba Carlos Poyares acompanhado por uma impecável equipe de instrumentistas, sintetizava o projeto do selo criado pelo fundador do Estúdio Eldorado, João Lara Mesquita. "O selo Eldorado surge para preencher um vazio no mercado", disse ao Estado.
O LP foi lançado oficialmente durante um coquetel no próprio estúdio, na Rua Major Quedinho, 76. No mesmo dia, a Eldorado inaugurou também quatro novos canais para a gravação de jingles.




O disco foi gravado numa única sessão de 23 horas, sem qualquer solução de continuidade. Os músicos liderados por Poyares gravaram uma verdadeira antologia do chorinho e a crítica aplaudiu de imediato a iniciativa. O Selo Eldorado tinha chegado mesmo para preencher um vazio no mercado e oferecer uma opção cultural para o público.

O primeiro disco da Eldorado saiu com 12 faixas, entre as quais Ingênuo e Um Chorinho para Elizeth, de Pixinguinha; Brejeiro, de Ernesto Nazareth; Flor Amorosa, de Joaquim da Silva Calado e Choro Serenata, de Sivuca.

Ecletismo. Mas a história da gravadora não se restringiu ao choro e à música erudita. O catálogo da Eldorado - são mais de 240 títulos -é marcado pelo ecletismo, reserva surpresas e gravações históricas. Conheça algumas delas:

Helena Meirelles - a violeira mato-grossense, considerada uma das melhores guitarristas pela revista americana Guitar Player, gravou seu primeiro disco na Eldorado em 1993.

Foi no disco "Paulo Vanzolini- Por ele mesmo" que fãs do compositor de "Ronda" e "Volta por cima", ouviram pela primeira vez a voz do Vanzolini interpretando suas próprias canções. 

Em 1982, a gravadora Eldorado lançou o último registro de Cartola, no disco "Cartola documento inédito". A gravação feita no final de 1979, menos de um ano antes de sua morte, acabou sendo a última vez que o sambista entrou em estúdio de gravação.Na entrevista à radio Eldorado, Cartola, acompanhado de um violão, cantou e comentou suas músicas. 

Antes de ser Duncan, Zélia era "Zélia Cristina". A cantora e compositora lançou seu primeiro disco, "Outra Luz" pela Eldorado em 1990. Optou-se pelo "Cristina" para não vincular seu nome ao de seu primo, Antonio Duncan, na época diretor artístico da gravadora.

Atualmente a gravadora Eldorado tem 11 títulos em catálogo e mais um, "Dominguinhos e Amigos", está a caminho. No cd, Dominguinhos e outros artistas, como Elba Ramalho, interpretam o repertório de Luiz Gonzaga. O lançamento está próximo, afirma Murilo Ponte, gerente artístico da gravadora.



Viu essa página?

John Kennedy assassinado

Há 55 anos, presidente dos EUA era baleado no Texas John Kennedy assassinado

Veja a edição completa de 23/11/1963

Tópicos
ver todos