ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Agatha Christie

Agatha Mary Clarissa Miller
15/9/1890, Torquay (Inglaterra) - 12/01/1976, Wallingford (Inglaterra)

Considerada a “Rainha do Crime” pelo sucesso dos mais de 80 romances policiais que escreveu. Com enredos intrigantes que tornavam praticamente impossível ao leitor desvendar seus desfechos, os livros da autora venderam milhões de cópias e figuram na lista dos mais traduzidos em todo o mundo.

Aos seis anos de idade, mudou-se para a França com a família e logo aprendeu a ler, foi praticamente educada somente em casa com a ajuda de professores particulares. Com a morte do pai, aos 11 anos, passou a viajar pelo mundo com a mãe. Matriculou-se em uma escola de aperfeiçoamento em Paris cinco anos mais tarde, onde se destacou como cantora e pianista. Desejava ter exercido uma das atividades, mas confessava ter vergonha de se apresentar em público, além de não ter timbre de voz adequado para a ópera).

Casou-se em 1914 com um aviador da Força Aérea britânica, o coronel Archibald Christie de quem conservou o sobrenome e com quem teve sua única filha,  Rosalind. Devido ao ofício do marido, trabalhou como enfermeira da Cruz Vermelha durante a Primeira Guerra Mundial - experiência que lhe proporcionou grandes conhecimentos sobre poções e veneno, que posteriormente seriam usados na construção de suas novelas de crime. Durante a Grande Guerra Agatha foi desafiada por sua irmã mais velha, que chegou a dizer: “aposto como você não é capaz de escrever uma novela de mistério”. Ela aceitou o desafio, desde então não parou mais de escrever.

O primeiro livro de Agatha, O Misterioso "Caso de Styles" foi publicado em 1920. O detetive belga Hercule Poirot, protagonista da trama se tornou um dos mais famosos personagens da literatura, aparecendo em outros 33 romances e dezenas de contos da escritora. Assim como Poirot, a solteirona inglesa Jane Marple também ficaria famosa nos seus romances, sendo considerada um alter ego da própria autora.
 
O desaparecimento de Agatha por onze dias no anos de 1926 causou comoção na imprensa mundial e gerou uma série de especulações que nunca foram confirmadas.  Foi a primeira vez que se usou aviões para buscar algum desaparecido na Inglaterra.  Ela foi finalmente encontrada em um hotel e após o episódio escreveu um de seus livros mais célebres, "O Assassinato de Roger Ackroyd". Dois anos depois, se divorciou do coronel Christie.

A década de 1930 consagrou a autora como “best-seller”. Nesta época ela publicou o primeiro romance protagonizado por Miss Jane Marple, intitulado O "Assassinato na Casa do Pastor". Ainda em 1930, se casou pela segunda vez, com o arqueólogo Max Mallowan. Bem-humorada, brincou sobre a profissão do nono marido: "O arqueólogo é o melhor marido que a mulher pode ter: quanto mais velha ela fica, mais interesse ele tem por ela." As expedições arqueológicas ao lado de Mallowam inspiraram a autora a escrever romances como "Um Crime na Mesopotâmia" e "Morte no Nilo". "O Assassinato no Expresso do Oriente" foi publicado em 1934, tornando-se um dos mais lidos e se transformando em filme. Na mesma década escreveu mais de vinte livros de ficção, entre eles o famoso  "Caso dos Dez Negrinhos".

Em 1952, estreou em Londres a peça "A Ratoeira", que também figurou na lista de suas produções de destaque. Além de romances, livros de conto e peças de  teatro, Agatha publicou seis outros romances sob o pseudônimo de Mary Westmacott. Recebeu em 1971 a mais alta condecoração do Reino Unido, tornando-se “Dame Agatha Christie”.

Morreu em 1976, em sua residência de Wellingford, um ano após escrever seu último livro, "Cai o Pano", no qual é anunciada a morte de  Hercule Poirot. Sobre os enredos de crimes que escreveu, Agatha dizia que a morte por envenenamento era sua preferida.

mulheresnoacervo x3728y Mulheres no Acervo

Páginas selecionadas pelo Editor

Viu essa página?

John Kennedy assassinado

Há 55 anos, presidente dos EUA era baleado no Texas John Kennedy assassinado

Veja a edição completa de 23/11/1963

Tópicos
ver todos