ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

Elis Regina

Elis Regina Carvalho da Costa
17/3/1945, Porto Alegre (RS) – 19/1/1982, São Paulo (RS)

Apelidada de Pimentinha, pelo poeta Vinicius de Moraes, por causa de sua forte personalidade, Elis estreou cantando na Rádio Farroupilha, com 11 anos, no programa Clube do Guri. Em 1959 foi contratada como cantora pela emissora. Estudou no grupo escolar Gonçalves Dias e no Instituto de Educação General Flores da Cunha.

Em 1960, viajou para o Rio de Janeiro e aos 16  gravou seu primeiro LP, “Viva a Brotolândia”, pela Continental. Voltou para o sul mas retorna à capital fluminense para  gravar dois discos de bolero em 1962.

Em 1963 mudou-se definitivamente para o Rio onde assinou um contrato com a TV-Rio. Convidada pelo baterista Dom Um,  passou também a se apresentar na boate Bottles, em Copacabana, que era um conhecido recanto da bossa nova. Junto com Copa Trio passa a fazer sucesso e conhece o coreografo Lennie Dale e o produtor Armando Pittigliani que a contrata para a gravadora Philips no final de outubro.

Em 1964 participou de diversos shows no Teatro Paramount (atual Teatro Abril, no centro de São Paulo). Lançou um compacto em 1965 pela Philips , onde gravou também seu primeiro samba “Eu Canto Assim”. Em abril do mesmo ano cantou “Arrastão” de Edu Lobo e Vinícius de Morais no I Festival de Música Popular da TV Excelsior conquistando o primeiro lugar.

A partir daí sua carreira começa a decolar. Gravou um show com Jair Rodriguez e dois LPs por sua gravadora.  Passou a apresentar também o programa o “Fino da Bossa”, junto com Jair. Seu estilo passou a misturar samba, bossa nova, rock e MPB. Em 1966 gravou o LP “Elis” um dos mais importantes de sua carreira com composições de grandes nomes como Milton Nascimento e Belchior.

Com os ensinamentos de Lennie, solta-se no palco encantando nos festivais de música. Gravou várias músicas de sucesso entre elas “O Canto da Ossada” e” Lunik 9”.  Seus poucos shows internacionais (Elis não gostava de ficar muito tempo longe do Brasil) começaram em 1968 quando se apresentou no Midem  em Cannes e no Olympia em Paris. No final de 68 ainda esteve em Buenos Aires. O ano ainda teve a estreia do programa “Elis Studio” e a conquista do primeiro lugar da Bienal do Samba.

No começo do ano seguinte fez novas viagens internacionais indo para a França, Bélgica , Suécia, Suíça e Holanda, onde com Toots Thielemans lançou “Elis e Toots Made in Sweden”. Gravou também “Elis in London” na capital britânica.

Casou-se em 1969 com o compositor Ronaldo Bôscoli. No mesmo ano estreou “Elis Mielli e Bôscoli”. Os anos 70 marcaram a grande fase de sua carreira. Em 17 de junho nasce seu primeiro filho, João Marcelo. Foi nessa década que gravou sucessos como “Águas de Março” de Tom Jobim e “Ladeira da Preguiça” de Gilberto Gil. Com Tom trabalhou também em um LP lançado em 74: “Elis e Tom”, feito nos Estados Unidos. A cantora também se separou de Ronaldo Bôscoli e casou-se com César Camargo Mariano, com quem teve dois filhos: Pedro Camargo (75) e Maria Rita(77).

Em 1975 estreou o show “O Falso Brilhante” onde além de cantar, dançava e contava sua história. O domínio do palco de Elis Regina  se sobressaia nesse tipo de apresentação, onde toda sua veia artística era exigida. No final da década duas apresentações no mesmo estilo também fizeram sucesso: “Transversal do Tempo”, em 1978 e “Essa Mulher” em 1979.  Neste ano também gravou “O Bêbado e o Equilibrista”, música que pedia a volta dos exilados do regime militar ao Brasil.

Seu último show foi realizado em 1981, “Trem Azul” que passou por São Paulo e Belo Horizonte. No mesmo ano se filiou ao Partido dos Trabalhadores.

Morreu devido a uma overdose de álcool com cocaína e o Brasil perdia uma de suas grandes vozes.

Diversos projetos de sua carreira foram interrompidos entre eles novos trabalhos com a Som Livre (sua nova gravadora) e um especial com a TV Globo.

mulheres no Acervo

Páginas selecionadas pelo Editor

Viu essa página?

John Kennedy assassinado

Há 55 anos, presidente dos EUA era baleado no Texas John Kennedy assassinado

Veja a edição completa de 23/11/1963

Tópicos
ver todos