ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

James Dean

James Dean
8/2/1931, Marion (EUA) - 30/9/1955, Califórnia (EUA)

James Byron Dean foi um ator norte-americano nascido no dia 8 de fevereiro de 1931, em Marion, Indiana. Ficou conhecido como símbolo da juventude rebelde e idealista da década de 1950. Quando tinha apenas nove anos, Dean perdeu a mãe, tendo sido deixado ao cuidado dos tios numa fazenda de Fairmont. Foi descrito como uma criança inquieta, agitada e avessa às normas - estas, por sua vez, bastante rigorosas na criação quaker à qual o jovem foi submetido.

Ao ingressar no ginásio, Dean dedicou-se mais aos esportes que aos estudos. Entrou para o teatro da escola, do qual participou por dois anos. Sua estreia na televisão ocorreu num comercial da Pepsi em 1950.

Aconselhado por seu amigo, James Whitmore, Dean mudou-se para Nova York, onde estudou artes cênicas na Actor's Studio, que difundia os ensinamentos de Constantin Stanislavsky. Dean alugou um quarto com um amigo e passou a trabalhar em pontas de comerciais e filmes para a tevê. Pouco depois, conseguiu um papel do filme "O Imoralista”, adaptação da peça homônima de André Gidé, que lhe rendeu, em 1954, o prêmio de revelação do ano.

A atuação de Dean, elogiada por críticos estadunidenses, o levam a Hollywood. No começo dos anos 50, Hollywood vivia um período de agitação e entusiasmo. Muitas estrelas, roteiristas e diretores haviam consolidado carreiras de destaque no cinema. Dean participou de dois filmes menores: "Baionetas Caladas", de 1951, e "Sinfonia Prateada", de 1952. Em breve, surge uma grande oportunidade cinematográfica oferecida por Elia Kazan, e Dean é contratado para fazer o papel de Cal Trask no filme “Vidas Amargas” (1955), adaptação da obra de John Steinbeck. Pouco depois participou do filme que cristalizou sua figura no cinema, “Juventude Transviada”, no qual fazia o papel de Jim Stark, um jovem revoltado que crítica a covardia de seus pais.

Enquanto ainda participava das gravações do filme “Assim caminha a humanidade”, Dean morreu em acidente de carro, no dia 30 de setembro de 1954. O ator dirigia seu Porsche Spider na estrada da Califórnia e rumava para uma corrida de carro. Treze dias antes de morrer, curiosamente, Dean filmara um comercial de televisão sobre o tema segurança no trânsito. No comercial, o ator declarava que tinha se tornado um condutor mais cuidadoso após começar a participar de corridas de carro, e pedia que os condutores fossem atentos no trânsito.

O ator foi descrito como as personagens que incorporava no cinema: rebelde, instável e de gestos agressivos. Sua figura foi cultuada como a síntese de todas as angústias da juventude que se rebelava contra as convenções sociais e a sociedade conformista de seu tempo.

Não teve muitos amigos e os diretores com quem trabalhou não se davam bem com ele. Concorreu postumamente a dois Oscar de Melhor Ator pelos filmes “Vidas Amargas” e “Assim caminha a humanidade” - e foi o primeiro a ser nomeado para o prêmio postumamente, - mas não venceu nenhum.

A morte e a vida pessoal James Dean foram tema de debate entre fãs especialistas. Seu caso amoroso mais famoso, bastante curto e recheado de boatos, foi com a atriz italiana Pier Angeli. Dean é considerado bissexual ou homossexual pela maioria de seus biógrafos. Os detalhes sobre sua morte, no entanto, ainda são discutidos.

Páginas selecionadas pelo Editor

PÁGINAS HISTÓRICAS

Proclamação da República

Veja essa e outras capas que marcaram época Proclamação da República

Acervo Estadão

Tópicos
ver todos