ir para o conteúdo
Busca
Busca por data

João Ubaldo Ribeiro

João Ubaldo Osório Pimentel Ribeiro
23/1/1941, Itaparica (BA) - 18/7/2014, Rio de Janeiro (RJ)

Filho do professor e político Manoel Ribeiro e de Maria Felipa Osório Pimentel, passou a infância com a família em Sergipe antes de retornar ao estado natal. Dedica-se aos estudos com afinco, especialmente o idioma inglês, e lê os clássicos da literatura infantil, principalmente Monteiro Lobato. O ano de 1956 marca o início da amizade com o cineasta Glauber Rocha, à época seu colega no Colégio da Bahia. No ano seguinte, estreia a carreira jornalística, atuando como repórter do Jornal da Bahia.

Durante o curso de Direito na Universidade Federal da Bahia, participa do movimento estudantil e, ao lado de Glauber Rocha, edita revistas e jornais culturais, ocasião em que aprofunda o contato com livros de Shakespeare, James Joyce, Miguel de Cervantes, William Faulkner e Graciliano Ramos, entre outros escritores. Publica os primeiros trabalhos literários nas coletâneas "Panorama do Conto Baiano" (1959) e "Reunião" (1961). Aos 21 anos de idade, escreve o primeiro livro, "Setembro não tem sentido" (1968).

Depois de concluir a pós-graduação em Administração Pública pela mesma instituição, parte para os Estados Unidos, em 1964,  para estudar Administração Pública e Ciência Política na Universidade da Califórnia do Sul. No ano seguinte, retorna ao Brasil para lecionar Ciências Políticas na Universidade Federal da Bahia, onde permanece por seis anos. Durante a década de 1970, publica "Sargento Getúlio" (1971), vencedor do Prêmio Jabuti e adaptado para o cinema mais de dez anos depois, "Vencecavalo e o Outro Povo" (1974), a edição em inglês de "Sargento Getúlio" (1978), traduzida pelo próprio escritor, e o conto militar "Vila Real" (1979).

Após uma temporada vivendo em Lisboa, passa a residir no Rio de Janeiro e escreve semanalmente  para o jornal O Globo – as crônicas desse período são reunidas na obra "Sempre aos domingos" (1988). Publica "Política: quem manda, por que manda, como manda" (1981), "Livro de Histórias" (1981), o aclamado "Viva o Povo Brasileiro" (1984), romance também vencedor  do Prêmio Jabuti e tema de samba-enredo no carnaval de 1987, e "O Sorriso do Lagarto" (1989), adaptado para a televisão em 1991.

No início da década de 1990, reside em Berlim durante um ano, a convite do Instituto Alemão de Intercâmbio, escrevendo para o jornal Frankfurter Rundschau e produzindo peças radiofônicas. Em abril de 1993 inicia a colaboração no jornal O Estado de S. Paulo, onde escreveu crônicas semanais até a sua morte. Eleito membro da Academia Brasileira de Letras em 1993, finaliza no ano seguinte a adaptação cinematográfica do romance de Jorge Amado, 'Tieta do Agreste" (1977). Atua na cobertura da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, como enviado especial dos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo. Também participa das feiras do livro de Frankfurt, na Alemanha, país onde detém desde 1996 uma cátedra na Universidade de Tubigem, e lança o livro de crônicas "Um brasileiro em Berlim" (1995).

No final dos anos 1990, publica o romance "O Feitiço da Ilha do Pavão" (1997), a coletânea de artigos publicados nos jornais  O Globo e O Estado de S. Paulo, "Arte e Ciência de Roubar Galinha" (1999), e o sucesso de vendas "A Casa dos Budas Ditosos" (1999). É um dos escritores escolhidos pelo jornal francês Libération para dar um depoimento sobre o novo milênio. Também nessa época, escreve, em parceria com o cineasta Cacá Diegues, o roteiro do filme "Deus é Brasileiro", baseado no seu conto “O Santo que não acreditava em Deus”.

Em virtude de sua atuação literária, recebe, em 2008, o Prêmio Camões, mais alta distinção para os escritores representantes da língua portuguesa. Atualmente, escreve em jornais e revistas do Brasil e do exterior, muitos de seus textos são citados em antologias nacionais e estrangeiras, e seus livros são publicados em diversos países, fazendo-o um dos escritores contemporâneos mais lidos e reconhecidos da literatura brasileira.

O escritor faleceu em 18 de julho de 2014, aos 73 anos, vítima de uma embolia pulmonar.

Páginas selecionadas pelo Editor

PÁGINAS HISTÓRICAS

Proclamação da República

Veja essa e outras capas que marcaram época Proclamação da República

Acervo Estadão

Tópicos
ver todos